quarta-feira, 26 de maio de 2010

Entre o Céu e a Terra

Só existem verdades e mentiras. Esta última existe para justificar um mundo que só a “ficção” humana procura fazer o uso para justificar a impotência dessa espécie, quando todas as possíveis soluções já foram esgotadas ou, se depender de alguma mania e vícios, rejeitadas.

A mentira pode ser prazerosa enquanto existir e satisfazer quem assim de “direito”, achar, que pode ostentar a mesma como verdade até um dia, “deus queira ou sabe-se lá até quando”, sucumbir.

Ela, aquela última, já mencionada na entrada do primeiro parágrafo tem seus resultados funestos diante das entidades que as protagonizam; diante de um homem, um povo, um país ou uma nação.

Por que algumas pessoas, como, por exemplo, nossos irmãos kwachas ou militantes da UNITA não conseguem livrar-se dela, mesmo quando existem tantas evidências contra esta? Não conseguem livrar-se da mesma, mesmo quando o preço a ser pago pelos mesmos, é a descaracterização de suas vidas e “obras” , ou ainda, personalidades. Às vezes, mesmo chegando ao ponto de serem tratados como seres irracionais ou bichos repugnantes; preferem viver a mentira de suas vidas. Sustentando uma visão, um delírio, ou quem sabe, em último caso, até mesmo um morto ou um difundo. Onde até quem o mantinha vivo na hora da sua morte aplaudio de maneira aliviada. Nem com isso a mentira foi enterrada! Também é a prova de que mentiras, como monstros, podem emergir das trevas.

E podem falhar no primeiro suspiro de “vida” que manifestarem. Assim é o caso de Isaias N’gola Samakuva e toda turma que renasceu com ele depois que a maior mentira se escafedeu. Esperamos que esse não seja o caminho de Abel Ipalanga Chivukuvuku, e os re-fundadores que aí poderão surgir. Pode parecer crueldade de nossa parte, mas esse último, já surge como a renovação da mentira; de tudo o que há de podre e mentiroso entre o céu e a terra deste país ou nação. Que um dia já foi somalizada!

Por que alguns angolanos preferem viver na eterna e falível mentira? Por falta de ideais, princípios, educação e um vazio onde só o ódio, a arrogância e a truculência encontram espaços.

Existem verdades que penalizam, tanto àqueles que fazem o uso da mesma para se livrarem das injustiças cometidas pelos algozes que a vida nos oferece –o povo-, quanto a cada mentiroso que existe por aí.

Que tal fazermos o  uso destas verdades para nos redimir-nos a todos nós!?

Extingam a UNITA e todo lixo de organizações políticas que existam por aí inservíveis, unam-se, debaixo de uma só bandeira apartidária, de preferência a bandeira de Angola, que por certo, é mais bonita que a de qualquer partido que existe por aí e cheia de simbolismo. Convençam-se que é essa a nossa bandeira, a bandeira de todos os angolanos, não importa quem a idealizou, e que não podemos rejeitar ela, e que é parte do nosso DNA! Façam do Agostinho Neto um símbolo da pátria, de unidade nacional –ele vai vos receber, tenham certeza disso, esse é o único morto que pode ressurgir de qualquer lavra, lago, minas, sanzala, enfim, desta terra -, e vamos combater a corrupção. E verão que os corruptos do Governo vão se render de joelhos a esse povo!

Sem a nação, sem o povo e os seus símbolos, e sem uma oferta credível, vocês não vão vencer nunca! Essa é a única verdade entre o céu e a terra.

Nelo de Carvalho
http://www.blogdonelodecarvalho.blogspot.com/
nelo6@msn.com

Nenhum comentário: