sexta-feira, 27 de maio de 2011

Somos Uma Gota de Água Num Mar de Lama

Pensando bem, os melhores especialistas no país para falarem e opinarem sobre o governo, o Estado e talvez a sociedade angolana são precisamente aqueles que ostentam cargos e funções públicas, incluindo o Presidente da República e os seus assessores. Além de terem a informação necessária e privilegiada, supõe-se que são os quadros mais competentes que a nação angolana tem. A pergunta é, quantos destes quadros do governo e funcionários do Estado têm blogs? Onde os mesmos além de provarem sua bagagem de desempenho espiritual e a fartura de conhecimentos que ostentam pudessem vir ao público expressarem-se livremente sem nenhum tipo de represálias e constrangimentos que os pudessem ridicularizar.



Não se esqueçam estes que o conhecimento que têm e ostentam é patrimônio do povo angolano. Assim, estamos à espera que eles saiam à frente na publicação das melhores obras de literatura e científicas que esse país poderá ter ou nunca teve.

Na verdade, a turma poderosa, se fizesse o uso do talento e da genialidade, estariam em melhores condições em nos dizer e provar a todos nós o quão ignorantes e oportunistas são alguns blogueiros que vivem dando palpites de como certos problemas sociais e crises políticas( e até econômica) podem ser resolvidos.


De minha parte não existe confissão nem reconhecimento de que todas as minhas opiniões “ondulam ao sabor dos acontecimentos”. É evidência, fato comprovado e indiscutível que tudo aquilo que já escrevi, escrevo e possivelmente “escreverei” no meu blog e enviei ao club-k ou em qualquer outro site de noticias e opinião é produto dos acontecimentos que têm a ver comigo direta ou indiretamente. Primeiro, dos que me envolvem como ser humano; segundo, da imagem como cidadão, que foi e é forjado por tudo o que acontece naquele país ( Angola). Meu país de origem, onde quase tudo o que “tenho” e o que sou é o retrato dos eventos e acontecimentos que ali ocorrem.

Minha predisposição e desejo – e até o oportunismo alegado, assim como a ignorância, que com certeza deve existir- podem ser afastados e postos de lado pelos melhores cérebros que ocupam aquelas funções, acima já mencionadas. Mas para que aquelas revelações mentais abastadas de todo comodismo se revele, se são assim tão sofisticadas e gigantes, elas não precisam se preocupar com a existência de uma formiga. É só aparecerem!


Afinal de contas, existe espaço para todos, não é? Quem sabe, com o espaço que tanto sobra depois que eles surgirem o Nelo de Carvalho, com todos os seus defeitos e “más intenções”, deixará de ser lido por todos. Tenham certeza eu sou obcecado pela meritocracia, nunca tive medo dela. Ao contrário, sempre rezei para estar no meio da mesma; sempre sonhei e lamentei por não ter nascido no meio dela.

A propósito minhas deficiências – e acredito que este seja o caso de quase todos os cidadãos desse país ( Angola)-, talvez, só existem por falta de convivermos naquele ambiente: o ambiente da meritocracia; onde quem sabe, sabe, e quem não sabe deve buscar referências e conhecimentos. Para mim a busca do conhecimento eterno e infindável é uma necessidade vital e não uma ofensa. Estou vivo e lúcido graças a esta eterna busca. E nunca me pareceu ser muito e nem o suficiente para ser aprovado por um colégio de acadêmicos reconhecidos por uma instituição bem conceituada; ou, mesmo, por uma turma de militantes corruptos de qualquer partido ou membros de um governo ( muito menos do governo de Angola).


Oportunista!? Eu tive a iniciativa feliz de rejeitar a vossa proposta que me amarrasse a qualquer condição que não viesse de mim mesmo. Para ser oportunista, na minha modesta forma de entender, eu tinha que ser ingrato a uma suposta troca de favores onde eu fosse o beneficiado. E no final chutar o balde!

Não recordo ter ocupado cargo no MPLA ou no Governo de Angola em benefício próprio, e no final ter chutado aquele balde. Ou, também, como dizem os mais porcos “ter cuspido no prato onde um dia comemos”.


Falando em benefícios, todos temos os nossos direitos de expressão, até aqueles que tanto fazem para impedir que os outros se expressem. Podem me xingar, ofenderem-me e até mesmo mandar recados, estão livres. Só peço um benefício de direito à vida, a que todos nós devemos defender, manter e lutar por ela: Afastem de mim os vossos truculentos chimpanzés!

Nelo de Carvalho
Nelo6@msn.com
WWW.blogdonelodecarvalho.blogspot.com
Nelo6@msn.com

Nenhum comentário: