terça-feira, 23 de novembro de 2010

“A Mentira Tem Pernas Curtas”

A Ministra  não  lê o Club-k, mas organizou e promoveu uma matilha de assessores, onde o objetivo era criar um lobby de influência no Club-k para ser defendida no mesmo meio. Se não lêem o Club-k, por que organizou ou promoveram uma frente para ser defendida, aqui mesmo no Club-k, quando da sua posse!?

Sabemos que alguns articulistas do Club-k e até alguns administradores do Club-k na diáspora, aqueles que têm acesso ao sistema de edição e reedição no  Club-k, foram persuadidos para moderar o tom com a atual Ministra, dar um tempo a ela. Ou seja, tratar a mesma com certo grau de consideração, ter paciência com a mesma no seu desempenho e nas possíveis transformações que a mesma iria implementar  no sistema de comunicação angolano. Não foi por coincidência, então, que muitos Jornalistas, empregados da TPA, da Rádio Nacional e até do Jornal de Angola, usaram o Club-k para manifestar suas ideias e  dar suas opiniões. Porque acreditaram que a nova Ministra, jovem e dinâmica, pertencente a nossa geração, estava imbuída com  um novo espírito oxigenado pelos ventos da democracia; do espírito democrático a que essa geração nova de angolanos, e a comunidade da diáspora, vêm  tentando incutir a sociedade civil angolana, na sua luta por um verdadeiro regime democrático de direito; onde cada ato do  Estado e do Governo seja pautado pela transparência e pelo respeito ao cidadão e a sociedade em geral.   

A Ministra, claro, que não tem obrigação de gostar ou ler coisas  que contrariam o seu espírito. Mas com a declaração feita e a suposta rejeição espiritual só mostra, mais uma vez, o nível cultural péssimo dos nossos governantes e a falta de consideração que eles têm pelo próprio povo que sustenta o poder deles. Um povo que mereceria mais respeito, não só pelas batalhas travadas no passado e usado para sustentar essa República dirigida por corruptos e malfeitores. Mas também por entender, que entre os terroristas da UNITA e os corruptos do MPLA, estes últimos ainda constituem a alternativa possível para a época em que vivemos. Mas que não da direito a burla de quem está no poder para com o cidadão que escolheu tal alternativa.

Além disso, se muitos, ex-colegas  da Ministra ( da TPA, RNA, e do Jornal de Angola), tiveram como opção usar o Club-k para manifestar suas ideias e opiniões, é a prova de que aqueles meios, além de não serem livres e democráticos, tornaram-se reacionários a serviços de interesses pessoais para perpetuarem o poder dos corruptos em Angola.

Assim, o Club-k, além de ser um meio alternativo de luta e combate contra a corrupção e todos os males que existem na sociedade angolana, é um instrumento moderno de cultura a ser considerado por quem tem uma visão moderna da sociedade e que acredita que o progresso é o único destino da humanidade para a sua sobrevivência contra tudo  que existe por aí, incluindo contra os corruptos do Governo de Angola.

O Club-k não é cultura Pop nem Popular é uma autêntica cultura de classe, dos estudantes, da classe media angolana desesperada pela implantação de um verdadeiro regime democrático,  que tem como influência principal a diáspora angolana, sonhadora em ver uma Angola desenvolvida onde todos possam ter  direitos como cidadãos e a serviços básicos, como saúde e educação. Coisas que até hoje os corruptos que estão no governo fingem oferecer ao povo, por isso somos obrigados  a ler entrevistas cínicas e que só transmitem mensagem provocativas como aquela entrevista da Ministra.

A Ministra decepcionou a todos e traiu a confiança de quem mais lhe defendia, precisamente, o Club-k. Porque naquele Jornal, o de Angola; naquela Rádio, na rádio nacional de Angola; e naquela Televisão, a TPA; só se defende o chefe mor. E, quanto mais, se for necessário sua quadrilha, quando ainda não estão descartados.


Nelo de Carvalho
Nelo6@msn.com

Nenhum comentário: